Minha Experiência com Azelan Gel Contra a Acne e Manchas/Melasma

Azelan-Gel-Resenha

Descobri o Azelan Gel em 2015 quando engravidei, na época ele foi indicado pela minha dermato como um ácido seguro para ser usado durante a gravidez | mesmo você sabendo disso consulte sempre um médico/dermatologista de sua confiança antes de adquirir um produto e ou tratamento| Segundo ela Azelan Gel ajudaria com a acne adulta e de quebra iria também uniformizar e clarear a minha pele.

Tornei a fazer uso do Azelan há alguns meses por conta da acne que voltou com força por aqui e também pra ver qual seria o resultado no melasma, herança dos hormônios da gravidez. Bora pra resenha!

O que diz o fabricante:

Azelan® é um tratamento com bom perfil de segurança para a acne na mulher adulta, que ajuda a recuperar a saúde da sua pele.

O ácido azelaico é encontrado em cereais integrais, centeio e cevada. A substância afeta o metabolismo das células da pele e tem efeito antioxidante, limpando os radicais livres que causam danos e inflamação na pele. Essas e outras propriedades fazem do ácido azelaico um agente eficiente no combate da acne

A tripla ação de Azelan® traz os seguintes benefícios principais:

TRATA A ACNE – Reduz a inflamação.
CONTROLA A LONGO PRAZO – Ajuda no combate às bactérias causadoras da acne.
AJUDA A RENOVAR A SAÚDE DA PELE – Suaviza a superfície da pele, dando a ela um aspecto mais saudável.

Azelan-Gel-Manchas-Acne-Texturajpg

A minha experiência com o produto:

embalagem em formato bisnaga;

creme branco sem cheiro de textura super leve e nada pegajosa;

fácil de aplicar, seca rápido e é facilmente absorvido;

melhora e controle significativos das acnes e espinhas;

diminui a oleosidade da pele;

sinto que além de diminuir a acne ele deixa a pele mais lisa;

Azelan é super eficaz para aquelas espinhas doloridas típicas da TPM, já sofri muito com isso e no momento elas resolveram voltar, tenho sempre no queixo e as vezes na testa e  ele desinflama e seca rapidinho essas benditas!

um produto com excelente rendimento, usa-se pouquíssima quantidade, logo ele rende muitoooo;

um ácido com preço acessível.

Azelan-Gel-150mg-ácido-azelaico

Quanta ao clareamento – Azelan não é um ácido milagroso e potente no tratamento das manchas, é um plus dos seus resultados! Com o uso contínuo percebo o meu rosto mais limpo, com a tonalidade mais uniforme e o melasma sutilmente mais claro.

Como uso: apenas a noite depois da limpeza facial, aplico uma pequena quantidade no rosto todo, evitando a área dos olhos e ao redor da boca;

Pontos negativos:

Sinto muita coceira e pinicação nos primeiros 5/10 minutos depois da aplicação, isso mais nos primeiros dias depois a pele vai se acostumando. Ahhh uma coisa que eu já comentei por aqui e volto a dizer, é que quando uso o Minéral 89 da Vichy antes de qualquer ácido, essas sensações de incômodo diminuem muitoooo!!

O produto dá uma leve ressecada na pele, o que não é ruim para as peles oleosas e acneicas, mas como já tô com um pésinho nos 40 e a minha pele é mista preciso caprichar na hidratação depois.

Preço médio: R$ 55,00

E aí já usaram Azelan, qual foi o resultado pra vocês?

Beijocas e bom Carnaval para todos!

Me sigam também nas redes sociais!! Patrícia Cabral —> Instagram– Facebook – Google+  

 

 

Anúncios

Pele: 5 ativos clareadores alternativos à hidroquinona

pele-clareadores-manchas-melasma-hidroquinona

1. Alfa-arbutin

Há várias pesquisas de cosméticos para clareamento da pele alternativos ao uso da hidroquinona, com ativos de eficácia comparável e melhores perfis de segurança. O alfa-arbutin é um ativo inibidor da tirosinase que possui uma estrutura química semelhante à hidroquinona, sendo um alfa-glicosídeo desta, mas ele clareia a pele reduzindo a formação da melanina sem irritar ou ser citotóxico, e é considerado um clareador seguro e efetivo. Um estudo de avaliação do efeito inibidor do alfa-arbutin sobre a melanogênese em um modelo de pele humana em cultura tridimensional comprovou que o alfa-arbutin reduz em 76% a síntese de melanina e inibe em 60% a atividade da enzima tirosinase. É portanto uma boa alternativa ao uso da hidroquinona.

 

2. Vitamina C

Agentes antioxidantes são capazes de inibir as etapas de oxidação necessárias para a formação da melanina, promovendo clareamento cutâneo. Embora com mecanismos de ação diferentes, há estudos que mostram que os antioxidantes podem ser alternativas à hidroquinona. Um desses estudos comparou o efeito clareador da vitamina C com a hidroquinona. O protocolo envolveu dezesseis mulheres com melasma idiopático que aplicaram um creme de ácido ascórbico a 5% em um lado da face e um creme de hidroquinona a 4% no outro lado, uma vez ao dia (à noite) durante 16 semanas. Os resultados mostraram que a vitamina C tópica promoveu um efeito redutor das manchas de melasma, reduzindo a formação da melanina (por ação antioxidante). Embora esse efeito subjetivo tenha sido inferior ao obtido com a hidroquinona (62,5% vs. 93%), as análises colorimétricas (que medem a intensidade da cor da mancha) não mostraram diferenças significativas entre os ativos, e os eventos adversos foram menos frequentes após o uso da vitamina C (6,2% vs. 68,7%).

 

3. Alfa-hidroxiácidos: ácido glicólico, ácido málico, ácido mandélico e ácido lático

Os antioxidantes também podem ser associados aos alfa-hidroxiácidos (AHA), melhorando sua ação na redução da hiperpigmentação. Os AHA promovem descamação cutânea que elimina as células com excesso de melanina e outros produtos de oxidação, promovendo clareamento ao mesmo tempo que aceleram a taxa de renovação celular. Um estudo demonstrou que as manchas hiperpigmentadas nas mãos de mais de 30 voluntárias com fotodano moderado a severo foram significativamente melhoradas em 4 semanas de tratamento com um creme clareador sem hidroquinona contendo antioxidantes e AHA, sem eventos adversos relatados.

 

4. Ácido Elágico

Outro estudo avaliou o efeito do antioxidante ácido elágico associado a um renovador celular do tipo beta-hidroxiácido, o ácido salicílico. Uma formulação tópica contendo 0,5% de ácido elágico e 0,1% de ácido salicílico foi comparada a um produto contendo 4% de hidroquinona. Nesse estudo randomizado cinquenta e quatro voluntários aplicaram uma das formulações duas vezes por dia durante 12 semanas, e os resultados foram surpreendentes: a formulação de ácido elágico e ácido salicílico apresentou eficácia comparável à hidroquinona pelas avaliações de classificação clínica, medida física do tamanho da mancha usando análise de imagem e análise de resposta a questionários. Os pesquisadores concluíram que esse cosmético apresenta benefício clareador comparável à hidroquinona, sendo mais seguro que esta.

 

5. Niacinamida

Outra vitamina benéfica para o clareamento cutâneo é a nicotinamida, também conhecida como niacinamida. Essa vitamina reduz perda de água transepidérmica (TEWL), melhora a hidratação da camada córnea, aumenta a síntese de queratina e estimula a síntese de ceramidas, além de possuir efeitos na redução de rugas, manchas hiperpigmentares e pele amarelada. Seu mecanismo de ação é a inibição da transferência da melanina dos melanossomas para as camadas mais externas da pele, clareando as regiões da epiderme, resultando em redução de manchas e aumento da luminosidade.

De acordo com um estudo que avaliou o uso de uma loção contendo niacinamida, pantenol e vitamina E em 246 mulheres adultas (30-60 anos de idade) com hiperpigmentação epidérmica, houve redução significativa das manchas hiperpigmentadas, melhora da regularidade da tonalidade cutânea e efeitos positivos na textura da pele após 6 semanas de uso.

Além dos diversos benefícios para a pele, a niacinamida é considerada um clareador potente que apresenta eficácia comparável à hidroquinona no clareamento da pele de pacientes com melasma. Um estudo avaliando vinte e sete pacientes com melasma demonstrou que a niacinamida a 4% foi tão eficaz no clareamento das manchas quanto a hidroquinona a 4%, sem diferenças estatísticas nas medidas colorimétricas. Além disso, a niacinamida reduziu o infiltrado inflamatório cutâneo e a elastose solar, e apresentou menor incidência de efeitos adversos quando comparada com a hidroquinona.

Beijocas e bom fim de semana pra vocês!

Me sigam também nas redes sociais! Patrícia Cabral –> Instagram– Facebook – Google+ 

 

 

 

 

 

 

Como prevenir e tratar manchas de pele no verão

manchas-pele

Com as altas temperaturas, os tradicionais ácidos de inverno devem ser substituídos. Especialistas explicam como continuar tendo efetividade no tratamento das manchas também no verão.

Muitos cremes pretendem clarear a pele, mas apenas alguns ingredientes realmente entregam resultados. “E, evidentemente, não há melhora sem que o tratamento seja acompanhado por fotoproteção eficiente. Os raios UV do sol desencadeiam nova produção de pigmento assim como a luz visível e luz infravermelha. Além disso, se a pessoa continuar tomando muito sol, o problema se agrava”, explica o dermatologista Dr. Jardis Volpe, da Clínica Volpe (SP). “A mancha também está relacionada a um estresse oxidativo, que ocorre internamente e que aumenta a oxidação sistêmica, então ativos antioxidantes e anti-inflamatórios são necessários”, completa a farmacêutica Mika Yamaguchi, diretora científica da Biotec Dermocosméticos.

Os especialistas listam abaixo, em três pontos, o que é indicado para tratar manchas no verão:

Prevenção: “Além do FPS, é recomendado o uso de antioxidantes que potencializem a fotoproteção, como a Vitamina C e E”, afirma o dermatologista. A farmacêutica Mika acrescenta que ingredientes como OTZ 10 e Alistin também agem prevenindo as manchas por atuarem como antioxidantes, que evitam o estresse celular. “Eles protegem o DNA celular e diminuem a ação dos raios UVA, Infravermelho A e luz visível — estes dois últimos, a curto prazo, causam uma pigmentação na pele, sendo necessário uma proteção contra os danos causados por eles”, explica Mika.

Despigmentantes seguros: Atuar na síntese e transferência da melanina (pigmento que dá cor à pele) é uma forma de diminuir o aparecimento de manchas. Fique atento ao rótulo já que a Vitamina C ganha reforço de alguns ácidos — que devem ser usados no verão (ferúlico, kójico e azelaico) para clareamento em substituição a outros mais tradicionais do tempo frio (retinoico, glicólico e mandélico). “O ácido ferúlico fornece hidrogênio para neutralizar os radicais livres, tem ação clareadora e fotoprotetora; o kójico evita que as células fabriquem melanina; já o azeláico, inibe a enzima responsável pela produção do pigmento”, afirma o dermatologista. A farmacêutica acrescenta que a fórmula pode, ainda, contar com ativos que reforcem e estimulem a renovação epidérmica, como Hyaxel (ácido hialurônico vetorizado pelo silício orgânico) e Pro Barrier Repair.

Lasers não agressivos: O dermatologista acrescenta, por fim, que em alguns casos tratamentos clínicos com lasers devem ser feitos. “Com relação a procedimentos, o laser SPECTRA (um referencial no controle do melasma) agora dispõe de um procedimento, SPECTRA Lumina, que combina os três modos de ação do laser e tem benefícios: no clareamento de manchas e olheiras, na luminosidade da pele e na redução de poros”, explica. De acordo com o médico, o equipamento emite lasers ultrarrápidos e de baixa energia que atingem os melanócitos cutâneos (a origem do pigmento), promovendo além disso um processo global de melhora do aspecto da pele. “O procedimento pode ser realizado no verão, não atrapalha as atividades diárias do paciente e não causa reação inflamatória. Os pacientes já conseguem notar resultados nas primeiras sessões”, explica.

Aqui no Falando de Beleza tem várias resenhas de produtos clareadores que eu já testei: Clarifiant ROC –  Melan Off Adcos Pigmentclar La Roche-Posay  , entre outros- assim como também de vários protetores solares (basta digitar na busca), item super importante e indispensável para o cuidado com a pele manchada!

Beijocas!

Patrícia Cabral  —> Facebook , Instagram , Google+ , Snapchat: falandodebeleza 

 

 

 

clique aqui

 

Clarifying Clay Masque a novidade da Skinceuticals para pele oleosa

clarifying-clay-masque-skinceuticals

Na quinta-feira passada a SkinCeuticals apresentou um super lançamento para peles oleosas mas que também pode e deve ser usado até nas mais sensíveis.

Mostrei um pouco da novidade pra vocês lá no Instagram ( se não me segue por , bora seguir já! ) até fiz vídeo no Stories mostrando a máscara em ação, não resisti já usei um dia depois que recebi o Clarifying.

Hoje vim trazer um pouco mais de detalhes sobre essa máscara top!

Clarifying Clay Masque é a nova máscara dermatológica da marca com argilas desintoxicantes e exclusivo blend de Ácidos Renovadores.

Tendência nos EUA e na Ásia, as máscara faciais chegaram para ficar no Brasil. Mas unir ativos consagrados na dermatologia para tratar a pele oleosa não é uma tarefa fácil. SkinCeuticals aceitou o desafio e lança Clarifying Clay Masque, uma máscara dermatológica multifuncional que remove as impurezas e desobstrui os poros, auxilia no combate a oleosidade excessiva, restaura o viço e uniformiza a pele.

Sua fórmula é composta por:

  • Argilas vulcânicas com ação descongestionante dos poros; ação purificante; remoção das impurezas e remoção do excesso de sebo da pele. As argilas são Bentonita e Caulin.
  • Blend de Alfa-Hidroxiácidos que são ácidos renovadores provenientes de extratos vegetais, responsáveis por esfoliar e suavizar a pele. Esses ácidos são: glicólico, málico, lático, tartárico e cítrico.
  • Extrato de Aloe Barbadensis (ação calmante e suavizante).

“Clarifying Clay Masque foi pensada com o objetivo de otimizar a rotina de beleza e cuidados com a pele, promovendo uma revitalização imediata e controlando de forma duradoura a oleosidade”, diz Alan Spector, diretor de SkinCeuticals no Brasil.

Para este lançamento,  SkinCeuticals realizou um estudo de quatro semanas envolvendo 55 pacientes (25 a 70 anos) com pele normal a oleosa: as pacientes aplicaram o produto duas vezes por semana na pele limpa e seca, permanecendo por 15 minutos com a máscara. Os resultados foram:

  • 93% o produto remove impurezas da pele deixando-a com sensação de limpeza
  • 94,5% o produto deixa os poros com aspecto limpo
  • 96% o produto deixa a pele mais macia
  • 89% o produto não deixa a pele ressecada
  • 87% o produto deixa a pele energizada/renovada

Modo de uso: Após limpar a pele, aplique uma fina camada na face, pescoço e colo, evitando a região dos olhos e dos lábios. Deixe agir de 10 a 15 minutos e enxague com água morna. Usar de 1 a 2 vezes por semana. 

Preço Sugerido: R$ 299 (60ml). Rendimento médio de até 6 meses.

A resenha teremos logo mais por aqui, mas vou dar um spoiler pra vocês, essa foi a melhor máscara facial que eu já usei na vida! Tô passada e apaixonada!

Para mais informações: www.skinceuticals.com.br

Patrícia Cabral  —> Facebook , Instagram , Google+ , Snapchat: falandodebeleza 

 

 

 

Ácidos x envelhecimento cutâneo: afinal, eles são mesmo eficazes?

acid+peel

Ácidos x envelhecimento

Uma notícia publicada em revista de grande circulação, dizia que os ácidos, usados a longo prazo para o rejuvenescimento, estariam, ao contrário, provocando o envelhecimento da pele. Afinal, depois de tanto tempo utilizando os produtos com finalidade de melhorar a pele, as pessoas estariam na verdade prejudicando-a?

O artigo afirmava que, como os ácidos deixam a pele mais fina, esta fica mais vulnerável à ação dos raios ultra violeta do sol, principal responsável pelo envelhecimento cutâneo, favorecendo-o.

A verdade

Não há dúvida de que os tratamentos realizados com ácidos deixam a epiderme (camada mais superficial da pele) mais fina e a pele mais sensível ao dano solar. No entanto, quem está fazendo tratamento com estes produtos é sempre orientado a proteger a pele do sol constantemente, utilizando filtros solares com alto fator de proteção no seu dia a dia, além de chapéu e barracas quando vai à praia.

Quem não está disposto a evitar o sol, não deve fazer estes tratamentos. Querer tratar a pele sem abrir mão de se queimar ao sol é uma contradição, pois é a radiação solar a principal responsável pelo envelhecimento. Veja abaixo a diferença entre a pele do dorso da mão, exposta constantemente ao sol, e a pele do abdômen, protegida pela roupa.

Fotoenvelhecimento

Por outro lado, os ácidos provocam a renovação celular, regularizam a superfície cutânea, atenuam manchas e rugas e estimulam a produção de colágeno dando melhor elasticidade à pele. O conjunto de alterações provocadas pelo tratamento leva a uma pele de aspecto rejuvenescido e com mais viço.

Estudos científicos, nos quais se examina um pequeno fragmento de pele ao microscópio antes e depois do tratamento com ácido retinóico, mostraram que a pele tratada tem características de uma pele mais jovem do que aquela de antes do tratamento.

Definitivamente, desde que sejam respeitadas as exigências de proteção adequada da pele contra a exposição solar, os tratamentos com ácidos não levam ao envelhecimento, ao contrário, o resultado final é de rejuvenescimento.

Obrigado por sua visita!

Beijocas

Patty