Pele: 5 ativos clareadores alternativos à hidroquinona

pele-clareadores-manchas-melasma-hidroquinona

1. Alfa-arbutin

Há várias pesquisas de cosméticos para clareamento da pele alternativos ao uso da hidroquinona, com ativos de eficácia comparável e melhores perfis de segurança. O alfa-arbutin é um ativo inibidor da tirosinase que possui uma estrutura química semelhante à hidroquinona, sendo um alfa-glicosídeo desta, mas ele clareia a pele reduzindo a formação da melanina sem irritar ou ser citotóxico, e é considerado um clareador seguro e efetivo. Um estudo de avaliação do efeito inibidor do alfa-arbutin sobre a melanogênese em um modelo de pele humana em cultura tridimensional comprovou que o alfa-arbutin reduz em 76% a síntese de melanina e inibe em 60% a atividade da enzima tirosinase. É portanto uma boa alternativa ao uso da hidroquinona.

 

2. Vitamina C

Agentes antioxidantes são capazes de inibir as etapas de oxidação necessárias para a formação da melanina, promovendo clareamento cutâneo. Embora com mecanismos de ação diferentes, há estudos que mostram que os antioxidantes podem ser alternativas à hidroquinona. Um desses estudos comparou o efeito clareador da vitamina C com a hidroquinona. O protocolo envolveu dezesseis mulheres com melasma idiopático que aplicaram um creme de ácido ascórbico a 5% em um lado da face e um creme de hidroquinona a 4% no outro lado, uma vez ao dia (à noite) durante 16 semanas. Os resultados mostraram que a vitamina C tópica promoveu um efeito redutor das manchas de melasma, reduzindo a formação da melanina (por ação antioxidante). Embora esse efeito subjetivo tenha sido inferior ao obtido com a hidroquinona (62,5% vs. 93%), as análises colorimétricas (que medem a intensidade da cor da mancha) não mostraram diferenças significativas entre os ativos, e os eventos adversos foram menos frequentes após o uso da vitamina C (6,2% vs. 68,7%).

 

3. Alfa-hidroxiácidos: ácido glicólico, ácido málico, ácido mandélico e ácido lático

Os antioxidantes também podem ser associados aos alfa-hidroxiácidos (AHA), melhorando sua ação na redução da hiperpigmentação. Os AHA promovem descamação cutânea que elimina as células com excesso de melanina e outros produtos de oxidação, promovendo clareamento ao mesmo tempo que aceleram a taxa de renovação celular. Um estudo demonstrou que as manchas hiperpigmentadas nas mãos de mais de 30 voluntárias com fotodano moderado a severo foram significativamente melhoradas em 4 semanas de tratamento com um creme clareador sem hidroquinona contendo antioxidantes e AHA, sem eventos adversos relatados.

 

4. Ácido Elágico

Outro estudo avaliou o efeito do antioxidante ácido elágico associado a um renovador celular do tipo beta-hidroxiácido, o ácido salicílico. Uma formulação tópica contendo 0,5% de ácido elágico e 0,1% de ácido salicílico foi comparada a um produto contendo 4% de hidroquinona. Nesse estudo randomizado cinquenta e quatro voluntários aplicaram uma das formulações duas vezes por dia durante 12 semanas, e os resultados foram surpreendentes: a formulação de ácido elágico e ácido salicílico apresentou eficácia comparável à hidroquinona pelas avaliações de classificação clínica, medida física do tamanho da mancha usando análise de imagem e análise de resposta a questionários. Os pesquisadores concluíram que esse cosmético apresenta benefício clareador comparável à hidroquinona, sendo mais seguro que esta.

 

5. Niacinamida

Outra vitamina benéfica para o clareamento cutâneo é a nicotinamida, também conhecida como niacinamida. Essa vitamina reduz perda de água transepidérmica (TEWL), melhora a hidratação da camada córnea, aumenta a síntese de queratina e estimula a síntese de ceramidas, além de possuir efeitos na redução de rugas, manchas hiperpigmentares e pele amarelada. Seu mecanismo de ação é a inibição da transferência da melanina dos melanossomas para as camadas mais externas da pele, clareando as regiões da epiderme, resultando em redução de manchas e aumento da luminosidade.

De acordo com um estudo que avaliou o uso de uma loção contendo niacinamida, pantenol e vitamina E em 246 mulheres adultas (30-60 anos de idade) com hiperpigmentação epidérmica, houve redução significativa das manchas hiperpigmentadas, melhora da regularidade da tonalidade cutânea e efeitos positivos na textura da pele após 6 semanas de uso.

Além dos diversos benefícios para a pele, a niacinamida é considerada um clareador potente que apresenta eficácia comparável à hidroquinona no clareamento da pele de pacientes com melasma. Um estudo avaliando vinte e sete pacientes com melasma demonstrou que a niacinamida a 4% foi tão eficaz no clareamento das manchas quanto a hidroquinona a 4%, sem diferenças estatísticas nas medidas colorimétricas. Além disso, a niacinamida reduziu o infiltrado inflamatório cutâneo e a elastose solar, e apresentou menor incidência de efeitos adversos quando comparada com a hidroquinona.

Fonte:www.cleberbarros.com.br

Beijocas e bom fim de semana pra vocês!

Patrícia Cabral  —> Facebook , Instagram , Google+ , Snapchat: falandodebeleza 

 

 

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s